Viúva de Chris Cornell processa Soundgarden

Vicky Cornell, a viúva do músico Chris Cornell, entrou com processo contra os membros da ex-banda do marido, o Soundgarden. Segundo a Variety, a disputa judicial é centrada em dinheiros de royalties devidos à família de Cornell, além de sete gravações inéditas feitas antes da morte do cantor. Cornell nomeia os músicos Ben Shepard, Kim Thayil e Matt Cameron no processo, e contratou o famoso advogado das estrelas Marty Singer para representá-la. O profissional já defendeu casos para nomes como Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, John Travolta e Sharon Stone.

O texto do processo cita diretamente uma declaração Thayil para a imprensa, descrevendo como “frustrante” a sensação de não poder lançar as gravações inéditas da banda por conta das disputas com a viúva. Vicky Cornell argumenta que os membros do Soungarden não têm o direito de comercializar as faixas em questão. “Elas foram compostas por Chris, contém apenas os vocais de Chris, e foram deixadas para a família no testamento”, diz o processo.

+ Critics’ Choice Awards | ‘O Irlandês’ tem 14 indicações

Já os membros da banda dizem que ajudaram o vocalista a compor algumas das canções. “Todos nós estávamos animados com a retomada de nossa parceria antes da morte de Chris, e queremos lançar as músicas de uma forma que respeite os seus desejos”, disseram em carta à viúva.

O Soundgarden ficou em atividade originalmente entre 1984 e 1997, registrando hits como Black Hole Sun e Outshined. Cornell seguiu carreira solo e formou outra banda (o Audioslave) antes de se reunir com os membros do Soundgarden, em 2010. O cantor estava em turnê com a banda quando foi encontrado morto em seu quarto de hotel, em 18 de maio de 2017. A morte de Cornell, que tinha 52 anos, foi oficialmente declarada como suicídio após investigação policial.

Fonte: UOL
Foto: Claudio Capucho/Fotoarena/VEJA