The Clash ganha exposição comemorativa em Museu de Londres

O Museu de Londres anunciou uma nova exposição do The Clash. Com mais de 100 itens pessoais do arquivo da banda, alguns inéditos, a curadoria reúne a guitarra Fender do baixista Paul Simonon, que ele destruiu em 1979 para a capa do terceiro disco da banda. A exposição também terá itens como o bloco de notas e a máquina de escrever de Joe Strummer e as baquetas de bateria de Topper Headon. Alguns rascunhos de composições, roupas utilizadas nos shows, fotos e filmes também serão incluídas.

A banda também lançará um novo livro, London Calling Scrapbook, pela Sony, para o aniversário do álbum. A data coindice com a abertura da exposição. Com 120 páginas, o item apresentará letras escritas à mão, notas, fotos e materiais inédito de quando o álbum foi feito e terá uma cópia do CD.

+ Duff McKagan compartilha vídeo ao vivo de ‘Don’t Look Behind You’

“London Calling é o álbum definitivo do The Clash, uma convocação para londrinos e pessoas ao redor do mundo”, disse Beatrice Behlen, curadora de moda e artes do Museu de Londres. “As letras do álbum refletem preocupações contemporâneas, muitas das quais ainda são relevantes hoje, pois eles se afastaram do punk tradicional ao adotar influências musicais muito mais amplas. No Museu de Londres, contamos as histórias da nossa capital por meio dos objetos e memórias das pessoas que viveram aqui. Esta exibição fornecerá uma nova e vibrante visão sobre isso ao mostrar objetos inéditos presentes na história dos integrantes. O London Calling foi, e para muitos ainda é, o som de uma geração. ”

A exposição será inaugurada no dia 15 de novembro. A entrada é gratuita.

 

Fonte: Rolling Stone