Teixeirinha é reavivado em disco com 12 canções inéditas

Cantor e compositor gaúcho que vendeu milhões de discos ao longo dos anos 1960 e 1970 com repertório de tom sentimental, Vitor Mateus Teixeira (3 de março de 1927 – 4 de dezembro de 1985) está imortalizado na memória popular da região sul do Brasil com o nome artístico de Teixeirinha. Lançado na última sexta-feira (7), o álbum Inéditas atiça a memória do público de Teixeirinha ao apresentar gravações de 12 músicas inéditas de autoria do artista, ouvidas na voz do próprio cantor. São composições que Teixeirinha pretendia gravar. Tanto que, em algumas das 120 fitas do acervo da Fundação Teixeirinha, o artista fazia comentários sobre cada faixa e dava instruções de como queria que as músicas fossem arranjadas no momento da gravação oficial em disco.

+ É #FAKE que Senegal usa cloroquina contra Covid-19

O disco é produto do empenho da Fundação Teixeirinha para preservar o legado e manter viva a lembrança desse artista que alcançou sucesso de proporções fenomenais em 1961, ano do estouro em todo o Brasil da gravação de Coração de luto (1960). Coração de luto é toada tristonha composta por Teixeirinha sobre o falecimento da mãe, Ledurina, que, ao sofrer ataque epiléptico em 1936, morreu queimada por ter desmaiado sobre fogueira. Consta que o single de 1960 vendeu mais um milhão de cópias vendidas, a ponto de ser comercializado no câmbio negro porque a gravadora não conseguia atender a demanda dos lojistas.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação