Sem clientes e filmes, cinemas coreanos alugam para gamers

A pandemia teve um efeito devastador sobre a indústria cinematográfica. No mundo inteiro, a venda de ingressos caiu 71%, gerando uma receita de US$ 12,4 bilhões, contra US$ 42,5 bilhões em 2019, segundo a revista especializada Variety. Assim como no Brasil e em outras partes do mundo, os cinemas coreanos estão sob as restrições impostas pela pandemia. Muitos estão de portas fechadas, enquanto outros restringem-se a 50% da ocupação total. Além disso, há menos filmes sendo lançados para a tela grande. Assim, a CGV, a maior rede de cinemas da Coreia do Sul, teve a ideia de alugar as salas a gamers, de modo a criar uma nova fonte de renda. Até as 18h, grupos de no máximo quatro pessoas podem alugar um telão por duas horas, ao custo de US$ 90 (R$ 483 na cotação atual). Se o aluguel da sala for noturno, o custo sobe para US$ 135 (R$ 725). Os jogadores trazem de casa os consoles, controles e jogos.

+ Gravadora que lançou Johnny Cash vende catálogo musical

Pode soar caro, mas o novo público gamer não compensa a receita perdida com os cinéfilos. Vamos aos números: as salas alugadas têm entre 100 e 200 assentos, vendidos por US$ 12 cada (R$ 65). Uma sala de 100 lugares com a metade da ocupação para um filme traria receita de US$ 600 (R$ 3.222); essa quantia subiria para US$ 1.200 (R$ 6.444) em uma sala de 200 lugares com 50% dos lugares preenchidos. Tudo isso sem contar o que os cinéfilos gastariam com bebidas e pipoca. Mesmo assim, é pelo menos alguma receita entrando em caixa. Desde que o novo serviço começou a ser oferecido, no início deste ano, as salas receberam 130 reservas. A maioria dos aluguéis é feita por homens na casa dos 30 a 40 anos, mas casais e famílias também têm se interessado.

Fonte: UOL | Foto: BBC