Roman Polanski lidera indicações ao ‘Oscar francês’ e gera polêmica

O filme J’accuse – O Oficial e o Espião, de Roman Polanski, lidera as indicações ao prêmio César do cinema francês, o que provocou protestos de associações feministas, contrárias ao reconhecimento de um cineasta acusado de estupro. O filme histórico sobre o julgamento do militar judeu Alfred Dreyfus, premiado com o Grande Prêmio do Júri no Festival de Veneza, recebeu 12 indicações, incluindo nas principais categorias de melhor filme e melhor direção. Também supera Os Miseráveis – candidato ao Oscar de melhor filme estrangeiro – e La belle époque, com 11 indicações cada. Os prêmios César não devem “adotar posições morais”, disse o presidente da Academia, Alain Terzian, anunciando as indicações nesta quarta-feira (29).

+ Billie Eilish vai cantar no Oscar 2020

A menos que eu esteja errado, 1,5 milhão de franceses foram assistir ao filme” de Polanski, acrescentou, destacando o sucesso de bilheteria de ‘J’accuse’, título homônimo do famoso romance de Emile Zola.

A estreia do longa-metragem no final de 2019 na França foi marcada por pedidos de boicote depois que uma fotógrafa francesa, Valentine Monnier, garantiu à imprensa que Polanski a estuprou em 1975, aos 18 anos. O diretor franco-polonês, de 86 anos, negou a acusação por meio de um advogado. Polanski é um fugitivo da justiça dos Estados Unidos, onde em 1977 foi acusado de estuprar uma menor de 13 anos.

Fonte: G1 | Foto: Valery Hache