Presidente da República defende sertanejo ‘censurado’

O presidente Jair Messias Bolsonaro defendeu o cantor sertanejo Gusttavo Lima, que realizou lives nos dias 28 março e 11 de abril por meios das redes sociais e foi criticado pelas propagandas de bebidas alcoólicas feitas durante a transmissão. O Conar – Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária – abriu uma representação ética contra o cantor com base nas denúncias feitas pelos consumidores. Para os espectadores, a ação patrocinada pela Ambev foi irresponsável e não segue as indicações do Conselho. Na justiça, o acusados tem duas opções: se defender perante o Conselho de Ética ou apagar os trechos da internet. Em respostas às acusações, a Ambev afirmou que as normas da Conar são enviadas junto com os produtos, mas que vai reforçar o cumprimento delas. Já a assessoria do artista disse que o processo está sendo acompanhado, mas não “vai comentar o caso e vai se manifestar perante o órgão no prazo legal”.

+ É #FAKE que água tônica seja eficaz contra coronavírus

E o Presidente da República também se pronunciou sobre o caso e prestou solidariedade a Lima, que foi “covardemente atacado”. Para Jair Messias Bolsonaro, os cantores sertanejos são heróis da luta contra o coronavírus por estarem gerando entretenimento para as pessoas.

Minha solidariedade ao cantor Gusttavo Lima, que vem sendo injusta e covardemente atacado após a grande live que fez dentro de sua própria casa. Ele e outros artistas sertanejos e de demais gêneros têm sido grandes heróis nessa luta contra a covid-19 e merecem aplausos. Tomaram uma iniciativa espontânea louvável, demonstrando amor pelo seu povo e país, levando entretenimento e conforto para a casa de milhões de famílias neste momento de estresse, além de arrecadarem toneladas de alimentos e promoverem grandes doações. O Brasil agradece!”, publicou Jair Messias.

Fonte: Rolling Stone | Foto: Reprodução