Plantão do Rock UCSfm | Rock e Purpurina

Julho é o mês do Rock’n Roll na UCSfm e, durante o período que celebra o estilo musical mais cultuado no mundo, nós vamos te contar histórias, fatos e curiosidades do mundo do Rock

Na década de 1960, David Bowie já havia tentado, sem muito sucesso, ser cantor folk e astro “mod” (já falei sobre essa turma, mas vale lembrar que os “mods” eram geralmente jovens da classe média inglesa, obcecados pelas tendências da moda, jazz moderno, rythm and blues e ternos italianos bem justos). Mas a sorte do artista mudou de fato quando ele colocou maquiagem, pintou o cabelo de laranja, começou a usar roupas exóticas e inventou Ziggy Stardust. O personagem apareceu pela primeira vez no dia 10 de janeiro de 1972, em um show no Toby Jug Pub, em Tolworth, Inglaterra. Para criar Ziggy, um roqueiro alienígena de sexualidade indefinida, Bowie se inspirou no pioneiro Vince Taylor e no excêntrico Legendary Stardust Cowboy. Fruto dessa nova fase, o álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, lançado em 16 de junho daquele ano, foi puxado pelo single Starman e se tornou uma sensação.

As apresentações de Bowie e sua banda eram embebidas em uma poderosa marca teatral e se tornaram concorridas. O glam rock virou moda e diversos nomes passaram a seguir as diretrizes lançadas por Bowie – Marc Bolan, Gary Glitter, Slade, KISS, New York Dolls e até Alice Cooper experimentaram o gosto da purpurina. No entanto, Bowie jamais parou no tempo: em 1973 ele abandonou Ziggy para sempre. Nas décadas seguintes, o “Camaleão” mudou inúmeras vezes de persona artística.

Central de Conteúdo UCSfm