Paul Stanley diz que Kiss pode continuar sem ele: ‘Prioridade é ser pai’

Em uma era em que os “dinossauros” estão ficando velhos e as despedidas no mundo do rock tendem a aumentar, o vocalista e guitarrista do Kiss, Paul Stanley, afirmou que não vê a banda acabando. Mais do que isso, disse que é possível que ela siga sem ele, que, ao lado do baixista e vocalista Gene Simmons, são as imagens principais do grupo. Mas não é para agora. Paul Stanley ainda não revelou planos de deixar os palcos, apesar de ter 66 anos.

O pensamento de eu não estar mais envolvido com certeza passam pela minha mente. Eu não tenho muita certeza da ideia de que o Kiss uma hora vai acabar. Nós construímos algo que é tão icônico, e que transcende qualquer integrante. Então, eu consigo com certeza ver a banda seguindo sem mim, de verdade”, disse o baixista em uma entrevista concedida à Billboard.

A razão para as palavras de Stanley é simples: ele quer se dedicar mais à família. O músico tem quatro filhos, sendo o mais novo nascido em 2011.

+ ‘Eu não vou me aposentar’, diz Ozzy Osbourne sobre turnê de despedida

Não quero mais sair tanto de casa. Eu tenho uma família e crianças e, para ser honesto, considero minha responsabilidade prioritária ser pai, não quero perder isso. E, envelhecendo, percebemos que a vida é finita e hoje já posso escolher o que quero fazer”, desabafou Stanley.

Paul Stanley tem se dedicado também à pintura. Ele afirmou que a banda planeja uma turnê mundial, mas o ano de 2018 está menos movimentado para a banda, que lançou seu último álbum, Monster, em 2012.

Fonte: UOL (via Kiss)