Neil Young pode ter cidadania reprovada por uso de droga

O músico canadense Neil Young quer votar nas próximas eleições estadunidenses, em 2020, porque está preocupado com a situação climática do mundo. No entanto, o processo de cidadania nos Estados Unidos pede vários testes e inclusive, um sobre uso ilegal de drogas para ser considerado um cidadão de bom caráter e apto a viver no país. Segundo o New York Times, o fato do músico ter assumido publicamente que fuma maconha pode complicar a cidadania dele. Young mora na Califórnia, estado onde a droga é legalizada, mas mesmo assim, o cidadão pode ser considerado como aquele que não respeita as leis federais. O músico falou que continua sendo canadense, mas vive nos Estados Unidos e por isso “quer registrar a opinião”.

+ Orquestra de Brinquedos comanda chegada do Papai Noel, em Caxias

Quando eu entrei com pedido para a cidadania americana, passei na entrevista. Foi uma conversa em que me foram feitas diversas perguntas, e eu as respondi com sinceridade”, contou.

Mas, o músico foi informado de que vai ser  necessário outro teste: “por causa do uso de maconha e pela maneira como algumas pessoas que fumam parecem ter problemas”. O artista sempre falou abertamente sobre o uso de maconha. No livro de memórias, lançado em 2012, relatou uma prisão a partir da apreensão de drogas com outros integrantes do Buffalo Springfield, a banda de Young nos anos 1960. A advogada Anastasia Tonello, responsável pela imigração em Nova York e ex-presidente da Associação Americana de Advogados de Imigração, explicou ao New York Times que o uso de drogas não desqualifica automaticamente os requerente da cidadania, “mas certamente complica o processo.” Neil Young disse no site oficial dele que vai manter os fãs informados sobre o desenrolar do processo.

Fonte: Rolling Stone | Foto: Isabel Infantes