Loki: série do deus da trapaça estreia no Disney+

Loki sempre foi um dos personagens mais fascinantes do Universo Cinematográfico Marvel. As aparições como vilão “raiz”, em “Thor” e “Os Vingadores”, foram inclusive, notavelmente, uma exceção à regra de antagonistas fracos nas primeiras fases do universo cinematográfico da Marvel —  e a nova série do personagem, intitulada simplesmente “Loki”, sabe bem disso. Por causa do carisma de “herói”, o primeiro episódio da produção, que estreou nesta quarta-feira (9) na plataforma de streaming Disney+, tem a confiança necessária para respirar fundo e mergulhar de verdade nos personagens, sem se apressar para montar as cenas de ação épicas que são típicas do MCU —  confiança que “Falcão e o Soldado Invernal” não teve, por exemplo.

+

Nele, acompanhamos o deus da trapaça (Tom Hiddleston), que é preso por agentes de uma organização denominada AVT (Autoridade de Variação Temporal) logo depois de fazer a fuga com o Tesseract —  cena que vimos em “Vingadores: Ultimato”, e que a série recapitula rapidamente no início. Nas dependências dessa organização com cara de repartição pública burocrática, “Loki” quase é condenado à morte (ou algo parecido) por interferir no que os agentes chamam de Linha do Tempo Sagrada. Quem intervém a favor dele é o agente Mobius (Owen Wilson), que acha que o deus da trapaça pode ajudá-lo com um caso especialmente difícil. Cabe lembrar que a série vai ter novos episódios direto na plataforma, sempre às quartas-feiras, durante toda a primeira temporada.

Fonte: Omelete | Foto: Divulgação