Em entrevista, Dave Grohl faz questão de afastar Foo Fighters da política

Estamos vivendo em tempos polarizados no mundo todo, onde as pessoas se criticam tanto em comentários e textões na Internet quanto nas ruas, chegando a atitudes das mais extremas e imbecis como as que temos visto nos noticiários aqui no Brasil e lá fora. Quando o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se elegeu, muito falou-se a respeito de como bandas de protesto principalmente voltadas ao Rock And Roll surgiriam nos Estados Unidos, já que o político milionário é conhecido por incitar brigas e divisões através das suas declarações e dos seus tweets, mas além de ainda não termos visto nenhum movimento contundente de massa sair dessa situação, há bandas com visibilidade e já consagradas que querem se afastar da política, como é o caso do Foo Fighters.

+ Tom Morello pede justiça em show de Porto Alegre

Em entrevista recente para a PBS, o vocalista e guitarrista da banda, Dave Grohl, disse que a ideia da banda é divertir e unir as pessoas, mesmo as que têm pontos de vista completamente diferentes:

Sabe, o mais legal do meu emprego é quando eu subo no palco e consigo unir todas essas pessoas diferentes por três horas. Elas podem ter vindo de passados diferentes, podem ter religiões diferentes, estar em lados diferentes do corredor, seja lá o que for, mas quando eu subo no palco e canto uma canção como My Hero, Everlong ou Best Of You, todo mundo canta junto. Eles podem estar cantando por diferentes razões, mas estão cantando juntos”, afirmou Grohl.

Enquanto isso, o guitarrista Tom Morello, que está pelo Brasil, tem feito questão de deixar as suas opiniões bem claras, tanto que em Porto Alegre exibiu uma mensagem relacionada ao caso da vereadora Marielle Franco na guitarra.

Fonte: TMDQA | Foto: Aline Krupkoski