É #FAKE que vacina só foi ministrada em macacos

Circula nas redes sociais que a CoronaVac, vacina contra o coronavírus da farmacêutica chinesa Sinovac, que vai ser testada em 9 mil voluntários brasileiros, nunca foi ministrada em humanos, só tendo passado por testes clínicos e com macacos. É #FAKE. A mensagem diz que o governador de São Paulo, João Doria, fechou um acordo para que “9.000 paulistas sirvam de cobaias para testes da vacina chinesa, só testada em laboratório e em macacos”

Mas se a vacina é tão promissora, porque então não testar na China, onde surgiu esse maldito vírus em vez de testar nos paulistas?”, indaga o conteúdo falso.

Não é verdade que só macacos receberam a vacina, que é do laboratório chinês Sinovac Biotech e na qual se depositam muitas esperanças para conter o novo vírus. Os testes com humanos, que sucederam os com macacos rhesus, começaram na China no dia 16 de abril, com adultos saudáveis, com idades entre 18 e 59 anos. Segundo o fabricante, não foram observados efeitos colaterais significativos da vacina, que começou a ser produzida em janeiro. Também não é verdade que só paulistas vão participar dos testes brasileiros.

+ Nirvana | Violão de Kurt Cobain é leiloado por US$ 6 milhões

O caminho até uma vacina é dividido assim: na fase 1, são feitos os primeiros estudos em seres humanos, com o objetivo principal de demonstrar a segurança da substância; na 2, busca-se descobrir se ela é capaz de gerar a resposta imune do organismo, ou seja, se os indivíduos produzem anticorpos para o vírus; na 3, que precede o registro sanitário, os pesquisadores visam demonstrar a eficácia da vacina. A fase 4 já é a de disponibilização da vacina para a população. Os testes no Brasil vão ser os da fase três. Se tudo der certo, a vacina vai ser produzida em parceria com o Instituto Butantan e distribuída já em 2021 pelo Sistema Único de Saúde.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação