É #FAKE que vacina em testes no Brasil use células de fetos

Uma mensagem que diz que a vacina chinesa contra o novo coronavírus testada no Brasil utiliza células de bebês abortados tem viralizado na internet. A mensagem falsa traz uma foto do governador João Doria com a seguinte legenda:

Células de bebês abortados são utilizadas para produção de vacina chinesa. Será que o Doria vai revelar isso em suas coletivas de imprensa?”, diz o texto.

Ela é #FAKE. A CoronaVac, desenvolvida pela empresa da China Sinovac, e em fase de testes no Brasil em 9 mil voluntários, em parceria com o Instituto Butantan, usa células de uma espécie de macaco infectadas pelo Sars-CoV-2, inativado, e não de humanos fetos abortados. Existem, sim, imunizações que partem deste tipo de material, replicado em laboratório – numa técnica existente há mais de 50 anos e amplamente aceita no mundo científico –, mas não é este o caso da CoronaVac, que busca atestar a resposta imune dos voluntários com a aplicação de duas doses. O Instituto Butantan esclarece o mecanismo da CoronaVac.

+ É #FAKE que jovem ficou com rosto inchado após tomar vacina

Para o desenvolvimento e a produção da vacina para a Covid-19, em parceria com a farmacêutica Sinovac, é utilizada a cultura de células vero, uma linhagem de células epiteliais renais de macaco-verde africano (Cercopithecus aethiops). Essa cultura de célula é obtida e controlada em laboratório, e não envolveu o uso de animais, uma vez que são conservadas em tambores com vapor de nitrogênio, e estão à disposição para o uso em pesquisas, produção de vacinas e outros produtos”, disse o Instituto em nota.

O Butantan ressalta ainda que a técnica é aprovada para uso em produção de vacinas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e segue padrões rigorosos de segurança.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação