É #FAKE que dióxido de cloro previne e cura Covid-19

Circula nas redes sociais que a ingestão de dióxido de cloro diluído em água previne e cura a Covid-19. É #FAKE. Além de ser ineficaz para evitar ou conter a infecção pelo coronavírus, o dióxido de cloro, presente em alvejantes e em processos de tratamento de água, é tóxico, advertem especialistas. Ingerir dióxido de cloro é tão perigoso quanto beber ou inalar produtos usados para limpeza. Falsas promessas de cura envolvendo a substância química, comercializada com a sigla MMS, já eram compartilhadas na internet bem antes do início da pandemia da Covid-19, inclusive para quadros de autismo. Isso levou a Agência Nacional de Vigilância de Vigilância Sanitária (Anvisa) a banir a comercialização do MMS e a emitir alertas quanto a este tipo de anúncio perigoso.

+ É #FAKE foto de protesto alemão contra isolamento

Os anúncios alardeiam propriedades terapêuticas inexistentes e curas fantasiosas para uma série de doenças – agora, a Covid-19 entrou na lista. Bem antes de surgir pandemia do coronavírus, portanto, a agência trabalha pela retirada dessas propagandas enganosas da internet. Cabe ressaltar que desde junho de 2018 a Anvisa proíbe a fabricação, distribuição, comercialização e uso desses produtos. Segundo a agência, o dióxido de cloro não tem aprovação como medicamento em lugar algum do mundo. A substância é classificada como um produto corrosivo, cuja manipulação exige uso de equipamento de proteção individual. A inalação também é arriscada.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação