Coringa | Manifestantes adotam maquiagem do personagem em protestos

Coringa recuperou o lugar no topo das bilheterias neste fim de semana depois de perdê-lo momentaneamente para a sequência de Malévola. Agora, algumas controvérsias começaram a esquentar no mundo real em torno de manifestantes usando a pintura facial do filme nos próprios protestos. No Líbano, a revolta política levou alguns a sair às ruas para marchar em busca de mudanças. Há fotos de manifestantes usando os mesmos padrões de maquiagem de palhaço nessas manifestações. À medida que as tensões aumentam em outras partes do mundo, outros adotam a máscara do personagem como um símbolo das lutas por várias causas. Novas imagens estão surgindo em Hong Kong, enquanto as pessoas protestam contra o governo da China e no Chile, enquanto os cidadãos falam sobre os líderes estabelecidos.

+ Supernatural | Astro da série é preso por agressão

O France24 relatou essas situações no fim de semana e observou a presença crescente de ditados e acenos físicos para Coringa nesses movimentos. O historiador William Blanc conversou com a publicação sobre esses desenvolvimentos em torno do Coringa.

O filme de Todd Phillips tem um poder evocativo real. Ecoa uma forma de protesto contra um sistema político que as pessoas acreditam ser inflexível e pouco atencioso”, comentou Blanc.

Especula-se que a China não tenha exibido o filme devido às atuais tensões políticas em jogo. No entanto, a causa é que muitos encaram o filme como um tipo de arte que canaliza algo que está abaixo da superfície em várias culturas ao redor do mundo. Na América, muitos elogiam o filme pela maneira como coloca algumas facetas do tratamento de doenças mentais no país. Enquanto Coringa continua a arrecadar vários dólares nas bilheterias, as discussões só aumentam. O filme protagonizado por Joaquin Phoenix segue em cartaz.

Fonte: Observatório do Cinema | Foto: Divulgação