Cargê, baixista do Casa das Máquinas, morre aos 72 anos

Notícia triste para o rock brasileiro. Carlos Geraldo da Silva, o Cargê do Casa das Máquinas, faleceu vítima de complicações em decorrência de um câncer no pâncreas. O baixista da primeira formação da banda de rock paulista morreu na última sexta-feira (6). Aos 72 anos, ele estava internado desde janeiro no Hospital Geral, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. Conforme o filho de Cargê, Carlos Geraldo da Silva Júnior, o músico sofria de um câncer no pâncreas, que se espalhou pelo corpo. No ano passado, um festival foi realizado para arrecadar fundos para ajudar no tratamento do baixista. Integrante da formação original, gravou os discos Casa das Máquinas (1974) e Lar de Maravilhas (1975).

+ Max von Sydow, de ‘O Exorcista’ e ‘Game of Thrones’, morre aos 90 anos

Natural de Porto Alegre, ele foi para o Rio de Janeiro aos 18 anos. Lá, foi convidado para tocar na banda que acompanhava Roberto Carlos. Também gravou com nomes como Gal Costa e Tim Maia. Em meados dos anos 1970, entrou para a Casa das Máquinas, em que foi compositor e baixista. Antes do fim da década, deixou a banda e foi para Itália, onde morou com o filho por 22 anos. Lá, conheceu Tony Bennett, um dos grandes nomes do jazz mundial, graças a um amigo em comum. Voltou ao Brasil e passou períodos no Rio e em São Paulo antes de voltar ao Rio Grande do Sul. Conforme o filho, que também é músico, o baixista sempre trabalhou com música. Gravou projetos solo e também atuou como pianistas de bares. Chegou a ser pianista de cruzeiro. Em Caxias do Sul, onde morou pelos últimos dois anos, Cargê se apresentava em um restaurante. Além de Cargê Júnior, o músico deixa mais uma filha.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação