Biógrafo de Michael Jackson encontra provas que podem anular ‘Leaving Neverland’

Em entrevista ao site Mirror Online, o jornalista Mike Smallcombe, responsável pela biografia de Michael Jackson, Making Michael, contou que encontrou evidência concretas que podem anular algumas das acusações feitas por James Safechuck e Wade Robson no documentário Deixando Neverland. De acordo com o biógrafo, existem diversos documentos que geram contradições e inconsistência nas denúncias de abuso sexual de menores apresentadas no filme, como por exemplo um depoimento dado pela mãe de Robson que se mostra incoerente com sua fala no longa.

+ Pearl Jam tem muitas músicas do novo disco prontas, diz guitarrista

Joy Robson alega que os abusos começaram quando a família fez uma viagem para o Grand Canyon, mas Wade ficou no rancho acompanhado apenas por Michael Jackson. Mas Smallcombe rebate isso com um testemunho de 1993, feito em corte e em frente a um juiz, no qual a mulher declara que o filho estava junto durante a ida ao desfiladeiro localizado no estado do Arizona. O jornalista também alega que parte das acusações de James Safechuck não podem ser verdade. Em um certo momento do depoimento apresentado no filme, o homem diz que uma das vezes em que Jackson abusou dele foi em um quarto no andar superior da estação de trem de Neverland. Mas, de acordo com documentos oficiais, a estação de trem começou a ser construída em 1993 e só começou a funcionar no ano seguinte. O acusador diz ter sofrido abusos entre 1988 e 1992.

Fonte: Rolling Stone | Foto: AP Photo