Bilheteria mundial dos cinemas tem queda de 71% em 2020

Que 2020 foi um ano incomum para o cinema não é nenhuma novidade. O fechamento de salas ao redor do globo afetou os principais estúdios de Hollywood, que se viram obrigados a adiar seus principais lançamentos para o ano ou se adaptar à realidade da pandemia, disponibilizando blockbusters em plataformas digitais. O impacto econômico dessas medidas foi tão grande que as bilheterias mundiais sofreram uma queda de 71% em relação a 2019, somando apenas US$ 12,4 bi, deacordo com uma reportagem publicada pelo Deadline.

+ Criador da série Loki vai escrever filme de Star Wars

A comparação, aliás, impressiona ainda mais quando se leva em conta, por exemplo, que a Disney fez, no total, US$ 1,26 bilhão, US$ 240 milhões a menos que o total arrecadado por Frozen 2 (US$ 1,5 bilhão), e menos da metade da bilheteria de Vingadores: Ultimato (US$ 2,798 bilhões). Nesse cenário, o mercado internacional e as produções locais ganharam ainda mais relevância: 82% do total arrecadado veio de fora da América do Norte em 2020, contra 73% em 2019. A soma das bilheterias mundiais dos seis maiores estúdios norte-americanos – Disney, Warner, Sony, Universal, Paramount e Lionsgate – tiveram uma queda de 81% quando comparadas com o ano anterior.

Confira o ranking (considerando a bilheteria mundial total):

  1. Disney/Fox: US$ 1,26 bi
  2. Sony: US$ 1,18 bi
  3. Warner Bros.: US$ 1,08 bi
  4. Universal: US$ 1,03 bi
  5. Paramount: US$ 0,40 bi
  6. Lionsgate: US$ 0,19 bi

Para 2021, a previsão é que a indústria se mantenha em um ritmo abaixo da média no primeiro semestre. Além de um maior espaçamento entre os grandes lançamentos do ano, estúdios como Disney e Warner mantém a estratégia de levar títulos para seus respectivos serviços de streaming.

Fonte: Omelete | Foto: Divulgação