‘Back In Black,’ disco que eternizou AC/DC, completa 38 anos

Há exatos 38 anos, em 25 de julho de 1980, a lendária banda australiana AC/DC lançava o seu sétimo disco de estúdio, o clássico Back In Black. Formado em 1973 e já colhendo os frutos de performances cheias de energia e uma discografia consistente com seis álbuns, o grupo parecia estar no auge quando se deparou com uma tragédia que mudaria a carreira da banda para sempre: Bon Scott, vocalista já consolidado, morreu de forma prematura aos 33 anos de idade.

Almanaque da Música UCSfm | 25 de julho

Após perder a sua voz, a banda dos irmãos Young chegou a considerar o fim das atividades, mas conversando com a família de Scott, entendeu que a decisão de seguir em frente seria a mais correta, e então o AC/DC o fez com Brian Johnson nos vocais: cinco meses após o falecimento, o álbum começado com Scott estava pronto como uma espécie de homenagem a ele que pode ser vista logo na capa, toda preta como forma de luto. Johnson, inclusive, ajudou a compor as letras das canções já que a banda decidiu não usar letras que haviam sido escritas por Bon Scott para não parecer que estava se aproveitando da morte dele.

Netflix apresenta novas opções para personalizar perfis de usuários

Back In Black tornou-se não apenas um dos discos de Rock And Roll mais importantes da história como um dos álbuns mais vendidos na música, com 50 milhões de cópias comercializadas, perdendo apenas para Thriller, de Michael Jackson, no ranking dos discos mais vendidos do mundo. Hits como You Shook Me All Night Long, Hells Bells e principalmente a faixa título fizeram do álbum uma mistura certeira da sonoridade clássica do AC/DC, com guitarras afiadas e vocais potentes, com o Rock acessível que tocaria nas rádios e alcançaria grandes públicos.

Fonte: TMDQA