Alok lança O futuro é ancestral, 1º álbum autoral da carreira

“O futuro é ancestral”. Esse é um tema cada vez mais presente na vida de Alok. A importância de compreender o passado, as tradições e a sabedoria dos povos originários e a utilização da tecnologia como instrumento de impacto e reverberação, é inspiração para o artista. Ele acredita que além de possível, é urgente propor um novo imaginário coletivo para o que se chama de futuro. Ao lado da produtora Maria Farinha Filmes, o DJ inicia as gravações de uma minissérie documental que percorre musicalmente a jornada dos ativistas indígenas Célia Xakriabá, Kunumi MC, Mapu Huni Kuin, Tashka Yawanawa, e lideranças musicais dos povos Kariri-Xocó, Huni Kuin, Yawanawa e Guarani. Através das sonoridades vão compartilhar experiências, perspectivas e ideias sobre o passado, presente e futuro.

+ George Clooney lançará programa educacional de cinema para jovens

As sementes sonoras desse projeto vão dar nascimento ao primeiro álbum autoral da carreira de Alok e a renda vai ser integralmente revertida para apoio aos povos indígenas participantes. Imerso em um Sonastério, o artista também vai produzir um álbum para cada um desses povos com suas canções tradicionais. A intenção é poder colaborar para que os ensinamentos e narrativas indígenas traduzidas em música não se percam no tempo e passem a ser propriedade registrada das culturas.

A minha forte conexão com os povos indígenas e meu respeito às suas histórias me despertaram a vontade de promover esta imersão com eles. Juntos vamos compor faixas com os povos Yawanawa, Kariri-Xocó, Huni Kuin e Guarani e os resultados desse trabalho serão integralmente revertidos às suas aldeias. É importante corrigir erros históricos e possibilitar que as novas gerações se orgulhem e valorizem a sabedoria dos povos indígenas”, disse Alok.

Durante todas as etapas desse projeto os protocolos recomendados pela OMC, Ministério da Saúde e Governo dos Estados em relação à pandemia de Covid-19 estão sendo seguidos rigorosamente com políticas de testagem, confinamento e contratação de CCO e empresa de medicina e segurança do trabalho. Esses procedimentos acontecem em todas as produções, prezando a segurança e bem-estar das lideranças indígenas que já foram vacinadas e da equipe envolvida.

Fonte: Correio do Povo | Foto: Divulgação