Reggae jamaicano entra na lista de Patrimônio Imaterial da Unesco

O reggae, ritmo que nasceu na Jamaica e que tem em Bob Marley o maior ícone, entrou nesta quarta-feira (29), para a lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco. O site da organização destaca que o gênero musical surgiu num espaço cultural de grupos marginalizados, principalmente no oeste de Kingston, capital jamaicana. A música, que alcançou proeminência na década de 1960, junta diversas influências: antigos ritmos jamaicanos, músicas caribenhas, latinas, africanas e norte-americanas. Embora em seu estado embrionário o reggae fosse a voz dos excluídos, ele acabou sendo incorporado por toda a sociedade – vários gêneros, grupos étnicos e religiosos se identificaram.

Bob Dylan e Neil Young juntos no Hyde Park em Londres

Festivais como como Reggae Sumfest e Reggae Salute também são vistos como oportunidade de estudo e transmissão do conhecimento para futuros artistas e músicos. O reconhecimento do reggae como patrimônio cultural leva em consideração a contribuição para a discussão internacional sobre questões como a injustiça, a resistência, amor e humanidade. Bob Marley é considerado o maior expoente do estilo. A música simboliza protesto, a emancipação e a busca pela liberdade. O “rei do reggae” vendeu mais de 200 milhões de álbuns em todo o mundo. Ele morreu em Miami, em 11 de maio de 1981, aos 36 anos de idade.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação