Portas de hotel que hospedou músicos e artistas são vendidas por até 100 mil dólares

Imagine uma porta de hotel ser vendida por US$ 100 mil (R$ 338 mil)? Vale grifar que a porta vendida nesta sexta-feira (13) em Nova York, não é uma porta de uma espelunca qualquer. Trata-se do lendário Chelsea Hotel, em Nova York, e a porta arrematada fechava o quarto do cantor e Nobel da Literatura Bob Dylan, que por lá circulou entre 1968 e 1972.

Outras 49 portas do hotel foram a leilão na casa Guernsey’s — peças de quartos que hospedaram nomes como Patti Smith, Joni Mitchell, Janis Joplin e Leonard Cohen. Falando dos dois últimos dessa lista, foi nessa época que aconteceu o histórico encontro entre Janis e o cantor canadense, inspirando Cohen a escrever a canção “Chelsea Hotel #2”.

Uma curiosidade: muitas vezes, para não levar calote de seus inquilinos, durante os anos 1960/70, um dos proprietários do local inclusive aceitava obras de arte de artistas plásticos e fotografias de artistas que moravam por lá.

Construído no final do século XIX, o Chelsea se tornou lar de gerações de astros da música, boêmios e escritores. O estabelecimento serviu a escritores como Mark Twain e a Tom Wolfe. Foi lá, por exemplo, que o escritor Arthur C. Clarke criou 2001: Uma Odisseia no Espaço.

Foi no Chelsea Hotel que Sid Vicious matou sua namorada a facadas no dia 12 de outubro de 1978, em um dos acontecimentos mais marcantes da história do local.

Fonte: Grings Memorabilia