“Mulher Maravilha 2” é primeira produção a adotar diretrizes contra assédio sexual

A produção de “Mulher Maravilha 2” já pode ser considerada histórica. Isso porque o filme será a primeira produção cinematográfica a adotar oficialmente diretrizes anti assédio sexual.

A notícia veio durante o PGA Awards, premiação na qual a associação Producers Guild of America anunciou que uma série de instruções foram passadas para o elenco, os produtores e todos os funcionários envolvidos com o filme, a fim de que todos não apenas reconheçam a presença da cultura do assédio, mas também ajudem a combater o problema.

Eles reforçam que as diretrizes são válidas dentro e fora do set, e que os produtores devem exercer liderança na criação e na manutenção de ambientes de trabalho que propaguem respeito mútuo.

As recomendações, que vão desde o cumprimento as leis federais e estaduais até treinamento anti-assédio foram votadas e aprovadas com unanimidade pelo conselho do PGA , e representa mais uma ação efetiva ao combate do assédio moral e sexual na indústria do cinema.

Vale lembrar que a sequência de “Mulher Maravilha” não contará com o cofinanciador do primeiro filme, Brett Ratner, que foi acusado de assediar sexualmente várias atrizes, como Olivia Munn (“The Newsroom”) e Ellen Page (“Juno”).

“Mulher Maravilha 2” terá novamente a direção de Patty Jenkins e Gal Gadot no papel principal. O filme tem estreia marcada para o dia 13 de dezembro de 2019.

Fonte: B9