Morre o “5º Beatle”, George Martin

Morreu nessa terça-feira (08), o produtor, conhecido como o “quinto beatle”, George Martin, aos 90 anos. Ele estava em casa e o motivo da morte ainda não foi divulgado.

De uma humilde família londrina, Martin usou seu privilégio militar (serviu o exército britânico na Segunda Guerra Mundial) para estudar na Guildhall School of Music. Ele já sabia piano, mas lá aprofundou seus conhecimentos em música clássica e, especialmente, em oboé, seu instrumento preferido. Ele trabalhava na BBC e procurou emprego na gravadora EMI, onde seu caminho se cruzou com os Beatles.

Martin se tornou assistente de direção na Parlophone, um pequeno selo alemão comprado pela EMI, e foi alocado para trabalhar nos estúdios montados na Abbey Road. Inicialmente, ele produziria apenas discos de jazz e trabalhos de comediantes, como Spike Milligan. Martin chegou a ser conhecido no mercado como “Rei da Comédia” por conta desses trabalhos. Em 1955, foi promovido a diretor da Parlophone e começou a espalhar entre os amigos o seu desejo de trabalhar com algo mais popular.

Esse desejo chegou aos ouvidos de Brian Epstein, então empresário recém-assinado com os Beatles. “Brian notou que, ao ouvir o disco demo dos Beatles, George Martin se balançava levemente para a frente e para trás ao ritmo da música”, relata Howard Sounes na biografia FAB – A Intimidade de Paul McCartney. No dia 6 de julho de 1962, Martin conheceu os Beatles pessoalmente e foi “amor à primeira vista”, segundo o próprio produtor, em entrevista. E também foi acerto à primeira tentativa: em outubro, ‘Love Me Do’ já estava nas lojas e começava a beatlemania.

George Martin e os Beatles, pessoalmente, pertenciam a universos completamente distintos. De um lado, um ex-militar com formação clássica, do outro, quatro moleques de Liverpool que faziam música popular. E foi a união desses universos que deu a liga para que a banda se tornasse tão grande e Martin fosse considerado como o quinto integrante. Até mesmo John Lennon, que sempre dava um jeito de desafiar o produtor, o respeitava.

Martin foi o responsável por colocar ordem nas ideias e nos sons dos Beatles. Se no início trabalhavam com músicas mais simples e diretas, do disco Rubber Soul em diante a coisa se tornou mais complexa e mais elementos foram sendo adicionados. Martin fez os arranjos e organizou a mistura dos dois universos. Depois da união dos universos de George Martin e dos Beatles, o pop nunca mais foi o mesmo.

Fonte: Billboard

Fer Machado

Diretor Artístico Rádio UCSfm