Mark Knopfler não tocará com o Dire Straits no Rock and Roll Hall of Fame

Na próxima semana ocorre a cerimônia de indução ao Rock and Roll of Fame de 2018, e o Dire Straits vai ser uma das bandas que vai entrar no clubinho fechado do rock and roll. Além disso, o grupo inglês vai tocar no palco do evento, porém sem a principal figura. Mark Knopfler não vai tocar na cerimônia, e a informação veio do tecladista Alan Clark, que revelou que ele, o guitarrista Guy Fletcher e o baixista John Illsley vão tocar no palco do RARHOF, apresentado uma versão de Telegraph Road com ukulele e banjo, com os três dividindo os vocais. Os motivos para a ausência de Knopfler não foram mencionadas por Alan Clark.

Almanaque da Música UCSfm | 04 de abril

O irmão de Mark, David Knopfler, que tocou guitarra com a banda entre 1977 e 1980 e gravou os dois primeiros álbuns da banda, também não estará no evento. David alegou que não vai porque o Rock and Roll Hall of Fame não vai pagar os custos para o deslocamento dele o local do show. O Dire Straits se separou em 1987 após a turnê do álbum Brothers in Arms (1985), um dos discos mais vendidos da década de 1980.

Nos 60 anos de Cazuza, popularidade do cantor está em queda

Depois de um hiato, a banda retornou em 1991 com o lançamento de On Every Street, encerrando definitivamente suas atividades em 1995. Mark Knopfler embarcou então em uma carreira solo iniciada com o álbum Golden Heart, que chegou às lojas em março de 1996. Desde então o guitarrista e vocalista tem se dedicado a trilhas sonoras e aos seus próprios discos, sendo que o mais recente, Tracker, saiu em 2015.

Fonte: CollectorsRoom