Madonna se sentiu ‘estuprada’ por texto do New York Times

Madonna foi a personagem principal de uma reportagem do New York Times na última quarta-feira (5) O artigo “Madonna aos 60” foi escrito por Vanessa Grigoriadis, uma mulher, mas mesmo assim foi visto como sexista do ponto de vista da estrela. Nesta quinta-feira (6), no Instagram, Madonna fez um desabafo sobre o texto e criticou-o exaustivamente, chegando a dizer que sentiu-se “estuprada”.

E sim, posso usar essa analogia, já que fui estuprada aos 19″, acrescentou.

Para ela, a jornalista focou em trivialidades “como a etnia de minha dublê ou o tecido de que foram feitas minhas cortinas e comentários sem fim sobre a minha idade”, e isso “provou definitivamente que o venerável New York Times é um dos fundadores do patriarcado”, já que tais comentários não seriam feitos se ela fosse um homem. Pediu ainda “morte ao patriarcado” e disse que nunca vai parar de lutar contra isso. Leia o desabafo de Madonna traduzido:

+ Nova música póstuma de Avicii quer ajudar no combate à depressão; ouça

Madame X [novo disco] na capa da Revista N.Y.T., fotografada pelo meu amigo JR. Também compartilho minha foto favorita que não foi publicada, junto com um papo pré-sessão e uma taça de vinho depois de muitas horas de trabalho! Mas dizer que estou desapontada com o texto seria pouco. Parece que você não pode consertar a sociedade e sua necessidade infinita de diminuir, depreciar e degradar algo que sabem que é bom. Especialmente mulheres fortes e independentes.

A jornalista que escreveu esse artigo passou dias, horas e meses comigo e foi convidada para um mundo que muita gente não consegue entrar, mas escolher focar em tópicos triviais e superficiais, como a etnia de minha dublê ou o tecido de que foram feitas minhas cortinas e comentários sem fim sobre a minha idade, coisas que nunca seriam mencionadas se eu fosse um HOMEM! Mulheres têm muito trabalho em ser as campeãs de outras mulheres mesmo quando passam a ideia de feministas intelectuais.

Me arrependo de ter passado até cinco minutos com ela. Fez com que eu me sentisse estuprada. E sim, posso usar essa analogia, já que fui estuprada aos 19. Isso provou definitivamente que o venerável New York Times é um dos fundadores do patriarcado. E digo – MORTE AO PATRIARCADO intrínseco na nossa sociedade. Nunca vou parar de lutar para erradicá-lo”, diz o comunicado

Madame X, novo disco de Madonna, vai ser lançado no dia 14 de junho, poucos dias antes da estrela subir ao palco para comemorar os 50 anos da Parada do Orgulho LGBTQ+ de Nova York.

Fonte: Rolling Stone | Foto: Divulgação