Livro sobre Ringo Starr revela desprezo dos Beatles com o baterista

Biografias de John Lennon e Paul McCartney brotam nas livrarias a cada temporada. Relatos da vida de George Harrison também aparecem em intervalos cíclicos. Mas não é todo dia que Ringo Starr, de 78 anos, ganha um volume sobre a própria vida. Entre poucos títulos, sai agora no Brasil o mais ambicioso já produzido para ele. Ringo foi escrito pelo jornalista americano Michael Seth Starr. O livro aborda com certa indignação, a percepção de que Paul McCartney tratava com desprezo as habilidades musicais de Ringo.

Senti que Paul tinha uma atitude condescendente em relação a Ringo. Às vezes, ele o tratava quase como um músico contratado, não um parceiro”, disse o jornalista Starr que tem o mesmo sobrenome de músico, mas não possui nenhum grau de parentesco com Ringo.

O debate sobre as possíveis limitações de Ringo atravessa toda a narrativa do livro. Hoje ele tem fãs de seu estilo com as baquetas, mas ainda carrega uma legião de críticos impiedosos. Contudo, Ringo é classificado como “o Beatle engraçado”, ou “o pacificador”. Uma espécie de cola que uniu o quarteto em crises, por ser muito amigo dos três donos de grandes egos que o cercavam. Mas o biógrafo ressalta que Ringo foi o primeiro a esboçar uma saída do grupo, afastando-se durante uma parte das gravações do White Album, em 1968.

Venom | Novo vídeo é focado no lado mais violento do personagem

O lado agregador de Ringo, tão importante na dinâmica interna dos Beatles, permanece. Desde 1989, ele excursiona com sua All-Starr Band, na qual recruta veteranos do rock, sempre mudando a formação. Neste ano, tem ex-integrantes de Toto, Journey, Men At Work, Santana e Kansas. A biografia de Ringo Starr tem 480 páginas e está sendo comercializada ao custo de R$ 80.

Fonte: Notícias ao Minuto | Foto: Stefan Wermuth