Juri nega denúncia de abuso sexual contra Michael Jackson

O juiz californiano Mitchell Beckloff, da Corte Superior de Los Angeles, indeferiu a denúncia feita pelo coreógrafo Wade Robson, que dizia que Michael Jackson o teria molestado quando criança. Beckloff explicou que Robson esperou muito tempo para registrar o caso legalmente (quatro anos após a morte do cantor, em junho de 2009).

Em maio de 2013, o dançarino alegou que Jackson o havia molestado entre 1990 e 1997. De acordo com o NY Daily News, essa alegação contradiz o testemunho dele em 2005, quando jurou que o cantou jamais havia tocado nele inapropriadamente enquanto trabalharam juntos. Mais tarde, alegou que se recuperou de memórias reprimidas do abuso em 2012, durante uma sessão de terapia.

Conforme o juiz Beckloff, “mesmo supondo que a acusação do demandante é correta, ambas partes do tribunal reconhecem que tal impedimento existe apenas por um período de tempo razoável após qualquer tipo de violência, intimidação ou comportamento ameaçador pelo falecido”. Em outras palavras, mesmo que haja verdade na declaração de Robson, para seu benefício próprio, ele deveria ter dito isso mais cedo.

Henry Gradstein, um dos advogados de Robson, diz que eles ainda têm a opção de reclamar contra uma entidade corporativa que Michael Jackson fundou antes de sua morte.

Robson é dançarino e se destacou por trabalhar com Michael Jackson, Britney Spears e N´Sync, além de sua aparição no programa “So You Think You Can Dance”, em 2003.

Fonte: PopCrush

Fer Machado

Diretor Artístico Rádio UCSfm