Jack White detona sites de notícias musicais após erro grave em matéria

Após mais de uma década de espera, o visionário Jack White e seus companheiros do supergrupo The Raconteurs finalmente retornaram às atividades com Help Us Stranger, disco que é um dos principais lançamentos deste mês de Junho. Em recente entrevista concedida ao site Irish Times, White foi questionado sobre o motivo por trás de tanto tempo de hiato e respondeu com humor, aproveitando para mencionar que o tempo foi bom para auxiliar seu companheiro de banda, o vocalista Brendan Benson, no caminho da sobriedade: “Bem, quando Brendan desistiu do álcool, eu comecei a usar heroína, então isso atrasou as coisas”.

Após a brincadeira, White concluiu: “É engraçado, eu acredito que as coisas acontecem porque deveriam acontecer – não de um jeito religioso ou místico, mas de uma maneira ‘humana’”. A entrevista seguiu com Benson contando como se sente melhor sem álcool e o quanto agora consegue realmente aproveitar o momento nos palcos.

Entretanto, a piada de White sobre começar a usar heroína foi parar no título de uma matéria do site Spin, guiando seus leitores através de um vergonhoso caça-clique (clickbait, em inglês). O músico ficou super irritado com a postura do veículo e, através de sua conta no Instagram, publicou uma carta aberta cheia de sarcasmo endereçada principalmente para a Spin e também para “todo o resto do lixo de sites de jornalismo musical” que se envolvem em casos como esse e que, segundo ele, teriam aproveitado para propagar que White odeia tecnologia e celulares a ponto de não permitir que ninguém faça uso dos mesmos ao seu lado. Especificamente, ele citou os sites Pitchfork, Stereogum e Noisey.

+ Pitty ultrapassa 100 milhões de views com clipe de ‘Na Sua Estante’

Jack White: “parem de generalizar as coisas”
Leia na íntegra a carta publicada nesse sábado (29):

Querida Spin,

Eu nunca usei heroína ou qualquer outro tipo de droga ilícita na minha vida e qualquer um que seja próximo a mim pode confirmar isso. Se vocês tivessem de fato lido o artigo na íntegra, poderiam perceber que eu estava brincando. Mas eu suponho que a Spin nunca permita que os fatos atrapalhem o bom clickbait.

E já que estamos aqui…

Queridas Pitchfork, Stereogum, Noisey e todo o resto do lixo de sites de ‘jornalismo musical’: embora eu perceba que vocês trabalhem no negócio de caça-clique e declarações curtas, e que vocês estão putos porque a Third Man Records não lhes enviou uma cópia gratuita do novo álbum do Raconteurs por causa do quão desagradáveis vocês regularmente são, aqui estão algumas outras notas: eu não odeio pessoas que têm celulares ou eu nunca permiti um perto de mim ou eu odeio TODAS as tecnologias, etc. Parem de generalizar as coisas. Só porque eu não possuo um celular em uma tentativa de levar uma vida saudável, não significa que eu odeio toda a tecnologia. Embora vocês adorassem que eu fosse um ludita que proporcionava risadas cibernéticas até a manada de vacas voltar, eu detesto quebrar esse mito afirmando que eu ouço música digital, eu dirijo um carro elétrico e eu digitei essa resposta chata em meu computador.

Além disso, de volta ao meu tempo em 1800, os artistas não eram punidos por tomar a estrada menos percorrida ou por responder perguntas com respostas impopulares. Diabos, nós até esperávamos que nos rebelássemos contra o status quo, se você pode acreditar. Eu encorajo as pessoas a levarem suas próprias vidas saudáveis e encontrarem maneiras de se engajarem em coisas que inspiram umas às outras ao invés de derrubá-las. Se vocês gostam de música e artes, eu acho que suas organizações devem começar a aprender a fazer a mesma coisa ou pelo menos fingir que vocês amam música em vez de procurar agradar seus anunciantes com cliques.

A publicação original você encontra logo abaixo. Em tempo, a Spin atualizou a matéria. Vale lembrar que em 2015 White chegou a publicar uma carta similar, também criticando a prática de caça-clique.

 

Fonte: TMDQA!