Iron Maiden testou 12 cantores para substituir Bruce Dickinson

O ano de 1993 marcou um momento tenso para o Iron Maiden, já que Bruce Dickinson decidiu deixar o posto de vocalista de uma das maiores bandas de metal do mundo. Agora, Blaze Bayley, cantor que assumiu o cargo, deu mais detalhes sobre o processo seletivo para a vaga aberta. Segundo Bayley, o grupo ouviu mais de mil fitas e acabou testando doze finalistas antes de fazer sua escolha.

O músico declarou: “Eu acho que eles escutaram 1.500 demos e aí havia, tipo, doze discípulos que foram escolhidos para a audição. E eu fui sortudo de ser um dos doze. Você entrava no estúdio para cantar ao vivo. Havia 10 músicas no setlist na época — 10 dos clássicos que você tinha que aprender — e eu fui lá e dei meu melhor.”

+ Rival Sons lança clipe oficial para ‘Too Bad’

Blaze revelou ter ficado surpreso por conseguir entrar para a banda, já que sua voz é bastante diferente da voz de Dickinson. “A gente se parecia um pouco, mas nossas vozes eram radicalmente diferentes. Mas eu acho que eles queriam uma mudança, e os discos que eu fiz, The X Factor (1995) e Virtual XI (1998), foram o começo de uma era progressiva para o Iron Maiden, e eu aprendi muito sobre composição e sobre minha voz. E foi uma experiência incrível, incrível. As músicas que fizemos eram apenas fantásticas, eu acho.”

Blaze Bayley ficou no Iron Maiden entre 1994 e 1999, ano em que Bruce Dickinson retornou ao seu posto. Hoje, o vocalista segue carreira solo e seu último disco é The Redemption of William Black (Infinite Entanglement Part III) (2018). Vale lembrar que o Iron Maiden vem ao Brasil como atração do Rock in Rio 2019, e os ingressos para o dia do metal já estão esgotados.

Fonte: TMDQA!