Humberto Gessinger apronta novo álbum solo autoral

Humberto Gessinger aprontou, em Porto Alegre, o primeiro álbum solo de estúdio em seis anos. Quarto álbum solo da discografia de Gessinger, o sucessor de InSULar (2013) tem lançamento previsto para outubro, inclusive no formato de CD. O cantor, compositor e (versátil) instrumentista assina a produção deste disco cujo repertório é formado por onze músicas autorais, sendo que nove foram compostas ao longo de 2018. Algum algoritmo, Calmo em Estocolmo e Olhou por lado, viu figuram entre essas nove composições mais recentes.

Desde o início, saquei que o repertório pedia uma produção ágil e rápida, para que a força das composições não se perdesse em firulas no estúdio. Foi o que a gente fez. O disco novo é mais focado na simplicidade dos trios”, conceitua Humberto Gessinger.

As duas músicas feitas anteriormente são Missão (2013) e Outro nada (2018), parcerias do artista gaúcho com os conterrâneos Duca Leindecker e Bebeto Alves, respectivamente. Missão foi lançada há seis anos na voz de Duca – com quem Gessinger já formou o duo Pouca Vogal – no álbum Voz, violão e batucada (2013). Já Outro nada fez parte do repertório do álbum lançado por Bebeto no ano passado, Oh Blackbagual – Canção contaminada (2018).

+ ‘Star Trek’ de Tarantino será apenas para maiores de 18 anos

No quarto álbum solo de carreira fonográfica iniciada em 1985 como líder e mentor do grupo gaúcho Engenheiros do Hawaii, Gessinger optou por gravar as onze músicas com dois trios de sonoridades distintas. Com Felipe Rotta e Rafa Bisogno, Gessinger formou power trio elétrico de baixo, guitarra e bateria para dar forma a oito músicas. As outras três foram gravadas com trio acústico – de viola caipira, baixo acústico e acordeom – formado por Gessinger com os músicos Nando Peters e Paulinho Goulart.

Fonte: G1 | Foto: Divulgação