Greta Van Fleet mostra características próprias em show no Lollapalooza

Somente quem viu um show ao vivo do Led Zeppelin lá nos anos 1970 (não vale o show da O2 Arena de Londres, em 2007) poderia realmente comparar o Greta Van Fleet com a lendária banda. Os rapazes, que são a nova sensação do cenário rock desta década, mostraram no primeiro EP e no seu álbum de estreia que têm características que os aproximam do Led, mas numa performance ao vivo dá para observar que essa nova banda tem sim as próprias características. Um show com um setlist formado por músicas que nasceram há pouco tempo foi capaz de sacudir neste domingo (7) um público monumental do Lollapalooza no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, com quatro rapazes na casa dos vinte e poucos anos mostrando no palco que possuem uma forte desenvoltura artística, algo que deve os posicionar como um dos principais representantes do segmento nos próximos anos.

+ Baterista toca discografia completa do Silverchair em 5 minutos

E o Greta Van Fleet fez um show matador para o delírio do grande número de fãs que o aguardava desde a abertura dos portões. Quando os caras subiram ao palco, foram saudados calorosamente e viram seus singles, Safari Song e Black Smoke Rising, posicionados entre as primeiras músicas do setlist, chamar o público para uma interação completa. Há de se destacar a presença de palco pra lá de segura de Josh Kiszka, vocalista que soube se entregar em todas as canções, além de proporcionar momentos introspectivos antes das apresentações de Power Flower e Whatching over e mostrar toda a potência vocal no sucesso Highway Tune, que encerrou o show de forma monumental. Se uma pequena porcentagem de toda a energia despejada hoje no palco do Lollapalooza pelo Greta Van Fleet for utilizada pela banda para conduzir sua carreira artística, certamente o público conferiu uma performance de uma banda que inicia um processo de marcar seu nome na história do rock.

Fonte: Rádio Rock | Foto: Anderson Carvalho