Documentário “Epidemia de Cores” ganha novas sessões em Porto Alegre

O documentário gaúcho “Epidemia de Cores” ganhou mais uma semana de sessões na Cinemateca Eduardo Hirtz da Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736), em Porto Alegre. O filme  fica em cartaz até o dia 15 de junho, de terças a domingos, sempre às 19h30min. As entradas custam R$ 12, de terça a sexta, e R$ 14, aos sábados e domingos.

Com direção do antropólogo Mário Eugênio Saretta, Epidemia de Cores acompanha o trabalho realizado na Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre, na qual os internos realizam trabalhos em pintura, escultura, bordado e escrita criativa. A oficina foi criada em 1990, inspirada na revolucionária iniciativa da médica psiquiatra alagoana Nise da Silveira, que, nos anos 1940, apresentou em um hospital psiquiátrico do Rio de Janeiro essa forma de tratamento humanizado em contraponto a métodos violentos como eletrochoques e lobotomia.

Para realizar o documentário, Saretta captou imagens e realizou entrevistas ao longo de dois anos com pacientes, funcionários e voluntários que colaboram com a instituição. Essa proximidade e intimidade se reflete na abordagem delicada e respeitosa com que apresenta tanto os dramas de quem rompeu, alguns bruscamente, os laços com a sociedade, encarando junto ao desajuste mental históricos de carência e abandono, quanto a abnegada dedicação daqueles que os acompanham na rotina da expressão criativa — que é, como demonstrou Nise da Silveira, um eficaz canal de comunicação e reconexão desses pacientes com a vida que cerca.

Além disso, entre 67 filmes, o longa-metragem foi o vencedor de um edital de distribuição da Taturana Mobilização Social em parceria com a Kinorama. Agora, contará também com cinco exibições nas salas dos circuitos Itaú Cinemas, Cinespaço e Cinearte, além de pelo menos 50 sessões no circuito de difusão social alternativo em todo o Brasil. O documentário também faturou um contrato de distribuição em VOD com a Sofá Digital.

Assista ao trailer:

Fonte: Correio do Povo e Zero Hora