Coringa | Diretor explica diferenças entre versão de Joaquin Phoenix e Heath Ledger

Todd Phillips, diretor de Coringa, explicou o maior fator de separação entre a versão que criou do personagem, interpretado por do Joaquin Phoenix, e o agente do caos com maquiagem de palhaço vivido por Heath Ledger em Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008).

Eu não acho que este Coringa tinha como objetivo ‘ver o mundo queimar’. O objetivo que ele tinha em mente era completamente diferente disso. No início do filme ele está apenas sentado fazendo isso [se forçando a sorrir e fazendo caretas] logo na primeira cena, é um cara a procura de uma identidade. Eu acho que ele se torna de maneira equivocada um símbolo, e na verdade o que ele procurava era atenção. Esse Coringa nunca queria ver o mundo queimar”, disse Phillips em uma coletiva de imprensa logo após a aplaudida estreia do filme no Festival de Cinema de Veneza.

+ Queen | Ouça os vocais isolados de Freddie Mercury em ‘Don’t Stop Me Now’

Phillips explicou que, apesar de ser o estopim de uma revolução na Gotham City do filme, o objetivo do Coringa que visualizou era “genuinamente fazer as pessoas rirem”. Sobre a ingenuidade do personagem de Phoenix, afirmou:

Ele achava ter sido colocado na Terra para fazer as pessoas rirem e trazer alegria ao mundo, e tomou algumas decisões ruins no caminho. Eu acho que ele se tornou um líder equivocado, ou um símbolo. Até [Robert] De Niro, que interpreta Murray Franklin, diz isso a Arthur. E o Coringa responde com ‘Não, eu não sou político’. Ele realmente não entendeu o que ele havia criado”, comentou  o diretor.

Joaquin Phoenix também disse, durante a coletiva, que queria fazer uma interpretação doentia do personagem que não pudesse ser diagnosticada por psiquiatras do mundo real. Coringa chega aos cinemas brasileiros no dia 3 de outubro.

Fonte: Rolling Stone | Foto: Divulgação