Cinebiografia do Queen contratou dubladores para simular voz de Freddie Mercury

O produtor de Bohemian Rhapsody Graham King revelou como ele e seus colegas resolveram o problema em trazer Freddie Mercury de volta à vida no filme biográfico do Queen. O vocalista é interpretado por Rami Malek, mas o ator (obviamente) não conseguiu reproduzir a voz de Mercury. A solução foi usar gravações de fitas master do grupo, com vocais adicionais gravados pelo cantor canadense Marc Martel.

Literalmente, você pode fechar os olhos e ouvir Freddie. E isso é uma coisa muito difícil de fazer”, disse King à Rolling Stone norte-americana.

Ele acrescentou que após o co-produtor Denis O’Sullivan encontrar Malik, ninguém mais foi seriamente cogitado para o papel. King aproveitou a oportunidade e quebrou o silêncio sobre os primeiros relatos de que Sacha Baron-Cohen (Borat) se ofereceu para interpretar Freddie Mercury, mas que depois desistiu por discordar do roteiro.

Holograma de Roy Orbison fará turnê pela América do Norte em outubro

Sacha nunca esteve oficialmente ligado a este projeto. Eu nunca pensei que Freddie pudesse ser interpretado por um ator branco. E nunca houve um roteiro onde Freddie Mercury morresse no meio do filme. Nunca”, revelou o produtor.

Explicando por que a história termina no Live Aid em 1985, King disse que eles “sentiam que não havia necessidade de avançar até a morte dele. Conforme o produtor, a ideia não era fazer um filme “dark”, mas sim,  mostrar como os integrantes do Queen trabalharam juntos e como eles compuseram músicas incríveis. Bohemian Rhapsody chegar aos cinemas em 2 de novembro.

Fonte: Rockline