Champignon é revivido em disco póstumo de som pop e inédito repertório bilíngue

Luiz Carlos Leão Duarte Junior  teria festejado 40 anos de vida no sábado (16) se não tivesse saído tragicamente de cena há quase cinco anos. No entanto, Champignon – como era conhecido no universo pop brasileiro esse baixista e compositor paulista projetado como músico da banda Charlie Brown Jr. na década de 1990 – está sendo revivido através da música. Viúva do artista, a cantora Claudia Bossle prepara a edição disco póstumo de Champignon. Com produção de Pedro Dash e com repertório bilíngue que mistura músicas em português e em inglês, o disco se chama Boss le Champ e tem lançamento previsto para o fim deste ano. Bright light, Dubai, Price of love, Sereia e 84 horas são músicas que figuram no inédito repertório do disco, sendo assinadas por Claudia Bossle com Champignon.

Michael Jackson será tema de musical na Broadway

Boss le Champ é disco de sonoridade essencialmente pop, com elementos de rock e reggae, mas sem o peso do som do Charlie Brown Jr. – grupo do qual o baixista saiu em 2005 e para o qual retornou em 2011, tendo integrado nesse período a efêmera banda Nove Mil Anjos, primeiro projeto musical do cantor e músico Junior Lima. Em 2013, com a morte do mentor e amigo Alexandre Magno Abrão, o Chorão, e o consequente fim do Charlie Brown, Champignon formou a banda A Banca. Boss le Champ é o primeiro disco póstumo do artista – músico que, além de ser habilidoso no toque do baixo, tinha carisma e fãs, a ponto de ter conseguido sobressair no grupo liderado por Chorão.

Fonte: G1