• Grupo Codajás estreia neste sábado, em Caxias


    O grupo Codajás, formado pelos músicos Gilberto Salvagni (Sax tenor), Luiz Ortiz (guitarra), Tiago Andreoli (baixo) e Caio Busetti (bateria), vai fazer sua estreia às 20h deste sábado (19) na Escola Tem Gente Teatrando (Rua Olavo Bilac, 300), em Caxias do Sul. O Codajás tem a proposta de criar um repertório autoral, além de tocar música brasileira e jazz, mesclando a música instrumental com a participação especial de cantores convidados. Para essa apresentação, o grupo conta com a presença de Valentina Salvagni. Os ingressos custam R$ 20 (estudantes e idosos pagam R$ 10).

    Central de Conteúdo UCSfm

  • Paola Delazzeri e Gabriel Lopes lançam álbum de estreia nesta quinta, em Caxias


    A dupla de piano e voz Paola Delazzeri e Gabriel Lopes lança o álbum de estreia Empírico, às 20h desta quinta-feira (17), no Teatro Pedro Parenti, na Casa da Cultura. O disco apresenta um som contemporâneo, trazendo referências da nova MPB, do pop e também do jazz, soul e blues. O cotidiano serviu de inspiração para as letras, que abordam temas filosóficos, como a dualidade da vida.

    A identidade visual do disco apresenta o conceito da Aurora Boreal, fenômeno que acontece quando duas partículas diferentes se encontram no ar – representando Gabriel Lopes e Paola Delazzeri, o piano e a voz. As cores utilizadas representam o equilíbrio entre masculino e feminino e as linhas curvas simbolizam as ondas sonoras das músicas.

    Confira a música Queijo e um vinho:

    A apresentação tem entrada gratuita, mas sugere-se a doação de 1kg de alimento não perecível.

    Central de Conteúdo UCSfm

  • Flea : “Tirar a educação musical das escolas é ‘abuso infantil'”


    Flea está bastante insatisfeito com os mandatários norte-americanos que querem cortar os programas de educação musical das escolas públicas de lá. O baixista do Red Hot Chili Peppers fundou a escola Silverlake Conservatory of Music em 2001, depois de saber do estado do ensino de música nos Estados Unidos (falta de instrumentos e aulas nas escolas). A entidade sem fins lucrativos começou pequena, mas já se expandiu para um prédio em Los Angeles e oferece, além de aulas gratuitas, cursos pagos de instrumentos populares ou de orquestra.

    Tudo foi financiado pelo músico, que posteriormente passou a organizar eventos anuais para arrecadar dinheiro, nos quais já se apresentaram nomes como Pearl Jam, Metallica e Patti Smith. A próxima edição ocorre em 9 de setembro.

    Flea comentou os cortes no investimento em arte da atual administração de Donald Trump. “Preocupo-me muito com as coisas que aquele cara diz, mas isso afeta meu modo de ver o mundo pessoalmente. Tirar a educação musical das escolas é abuso infantil. Mas não é só pela música, mas pela arte em geral. Trabalhando em comunidade, a gente vê o resultado. Encorajo todos a entrarem em contato com a comunidade que vivem e fazerem o que podem para ajudar. Há pessoas que não têm dinheiro, pessoas que não têm comida, educação e nem serviço de saúde. E, sim, mudar as coisas em nível fundamental e institucional é algo incrível, mas nós podemos pessoalmente fazer coisas na nossa comunidade que ajudam profundamente.”

    O baixista finalizou comentando sobre a própria infância. “Quando eu era criança, tinha tudo para ter um monte de problemas”, ele acrescenta. “Corria pelas ruas, roubava, invadia casas, usava drogas. Eu estava matando aula e fumando maconha – basicamente destinado a ter problemas. E uma coisa que me manteve inteiro e que me fez seguir em frente foi a música. A única razão pela qual eu ia a escola era porque eu gostava de tocar na banda.”

    Fonte: Rockline