Bruno Mars é o grande vencedor do Grammy 2018

Bruno Mars liderou dos vencedores do 60º Grammy, que acontece na noite deste domingo (28), em Nova York, seguido por Kendrick Lamar. No total, Mars levou seis gramafones, enquanto Lamar fechou a noite com cinco. A cerimônia ocorre em Nova York pela primeira vez em 15 anos, sob a expectativa de ser palco de discursos políticos e homenagens a astros que morreram no último ano.

+ Three Days Grace libera clipe de “The Mountain” e anuncia novo álbum

Ed Sheeran ganhou dois prêmios (performance solo de pop e álbum de pop com vocal), mas não foi à premiação. Nas categorias de rock, The War on Drugs levou de álbum, Foo Fighters ganhou de música e Leonard Cohen ganhou um Grammy póstumo de melhor performance. Outro troféu póstumo foi para Carrie Fisher, que ganhou na categoria de melhor álbum falado, com o audiobook de sua biografia, “Memórias de princesa”.

Neste ano, a premiação destacou artistas negros e latinos em suas categorias mais importantes, um contraste com a edição anterior, na qual artistas brancos levaram os gramofones mais disputados. As mulheres, no entanto, são minoria na corrida pelos prêmios mais renomados.

Confira todos os artistas que foram premiados:

  • Álbum do Ano: “24K Magic”, de Bruno Mars
  • Gravação do Ano: “24K Magic”, de Bruno Mars
  • Canção do Ano: “That’s What I Like”, de Bruno Mars
  • Melhor Performance de Duo/Grupo Pop: “Feel It Still” – Portugal. The Man
  • Melhor Álbum Pop Vocal Tradicional: “Tony Bennett Celebrates 90” – Various Artists; Dae Bennett, producer
  • Melhor álbum vocal de pop: “÷” – Ed Sheeran
  • Melhor Gravação Dance: “Tonite” – LCD Soundsystem
  • Melhor Álbum de Dance/Eletrônica: “3-D The Catalogue” – Kraftwerk
  • Melhor Álbum Instrumental Pop: “Prototype” – Jeff Lorber Fusion
  • Melhor Performance de Rock: “You Want It Darker” – Leonard Cohen
  • Melhor Performance de Metal: “Sultan’s Curse” – Mastodon
  • Melhor Canção de Rock: “Run” – Foo Fighters
  • Melhor Álbum de Rock: “A Deeper Understanding” – The War on Drugs
  • Melhor Álbum de Música Alternativa: “Sleep Well Beast” – The National
  • Melhor Performance de R&B: “That’s What I Like” – Bruno Mars
  • Melhor Performance Tradicional de R&B: “Redbone” – Childish Gambino
  • Melhor Música R&B do Ano: “That’s What I Like” – Christopher Brody Brown, James Fauntleroy, Philip Lawrence, Bruno Mars, Ray Charles McCullough II, Jeremy Reeves, Ray Romulus and Jonathan Yip, songwriters (Bruno Mars)
  • Melhor Álbum Urbano Contemporâneo: “Starboy” – The Weeknd
  • Melhor Álbum R&B: “24K Magic” – Bruno Mars
  • Melhor Performance de Rap: “HUMBLE.” – Kendrick Lamar
  • Melhor Canção de Rap: “HUMBLE.” – Duckworth, Asheton Hogan and M. Williams II, songwriters (Kendrick Lamar)
  • Melhor Performance Solo de Country: “Either Way” – Chris Stapleton
  • Melhor Performance Country em Duo ou Grupo: “Better Man” – Little Big Town
  • Melhor Canção Country: “Broken Halos” – Mike Henderson and Chris Stapleton (Chris Stapleton)
  • Melhor Álbum New Age: “Dancing on Water” – Peter Kater
  • Melhor Improvisação de jazz solo: “Miles Beyond” – John McLaughlin, soloist
  • Melhor Álbum de Jazz Vocal: “Dreams and Daggers” – Cécile McLorin Salvant
  • Melhor Álbum de Jazz Instrumental: “Rebirth” – Billy Childs
  • Melhor Álbum de um Grupo de Jazz: “Bringin’ It” – Christian McBride Big Band
  • Melhor Álbum de Jazz Latino: “Jazz Tango” – Pablo Ziegler Trio
  • Melhor música/performance Gospel: “Never Have to Be Alone” – CeCe Winans
  • Melhor Performance de Música Cristã Contemporânea/Canção: “What a Beautiful Name” – Hillsong Worship
  • Melhor Álbum de Comédia: “The Age of Spin and Deep in the Heart of Texas”, de Dave Chappelle

Fonte: Notícias ao Minuto