Brasil está fora da corrida do Oscar pela 20ª vez seguida

O filme O Grande Circo Místico, escolhido para representar o Brasil no Oscar, não está entre os nove títulos finalistas que concorrem às cinco vagas de melhor longa estrangeiro. A lista foi divulgada pela Academia nesta segunda (17). Os indicados vão ser conhecidos no dia 22 de janeiro e a cerimônia ocorre em 24 de fevereiro, em Los Angeles. Com isso, a próxima edição da premiação marca a 20ª vez consecutiva que o país fica de fora dessa categoria – a última vez foi em 1999, com Central do Brasil.

Criminosos invadem casa de Paul McCartney, em Londres

Dirigido por Cacá Diegues, o representante nacional toma como ponto de partida poema de Jorge de Lima, que nos 1980 foi transformado em musical por Chico Buarque e Edu Lobo. A trama acompanha várias gerações à frente da lona, e tem no elenco os atores Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer, Vincent Cassel, Antonio Fagundes, Mariana Ximenes e Juliano Cazarré. Considerando apenas produções 100% nacionais, o país já concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro quatro vezes. Também disputou, em animação, com O Menino e o Mundo, em 2016. Em 2004, com Cidade de Deus, concorreu em direção, montagem, roteiro adaptado e fotografia. Confira a lista de finalistas:

“Em Chamas”, de Lee Chang-dong (Coreia do Sul)
“Culpa”, de Gustav Möller (Dinamarca)
“Assunto de Família”, de Hirokazu Kore-Eda (Japão)
“Ayka”, de Sergei Dvortsevoy (Cazaquistão)
“Cafarnaum”, de Nadine Labaki (Líbano)
“Roma”, de Alfonso Cuarón (México)
“Guerra Fria”, de Pawel Pawlikowski (Polônia)
“Pássaros de Verão”, de Cristina Gallego e Ciro Guerra (Colômbia)
“Werk Ohne Autor”, de Florian Henckel von Donnersmarck (Alemanha)

Fonte: Notícias ao Minuto | Foto: Divulgação