‘Black Mirror: Bandersnatch’ tem um trilhão de combinações possíveis

Nos últimos dias de 2018, a Netflix lançou Bandersnatch, filme derivado da série Black Mirror. A novidade para a plataforma é a interatividade do longa, levando o espectador a controlar o rumo da história. Ao todo, são 5 horas e 20 minutos de material bruto, embora 90 minutos de filme seja o tempo ideal para entender Bandersnatch e dependendo das escolhas, a obra pode acabar em 40 minutos. Segundo a Netflix, existem cinco finais para o filme, mas as possibilidades para contar a história do jovem Stefan (Fionn Whitehead) ultrapassam o número de um trilhão. Apesar dos finais confirmados, há um número enorme de caminhos que acabam em becos sem saída na trama, forçando o usuário a retornar e repensar as próprias escolhas.  Annabel Jones, uma das produtoras de Black Mirror, disse que a ideia nunca foi fazer uma trama com escolhas simples, e que a concepção do projeto foi algo complicado.

Seguir diversos ramos nos abre para outros em potencial, então talvez você não chegue a determinadas coisas dependendo das decisões que você faz. Não é uma simples narrativa com muitas escolhas binárias — elas estão todas mudando seu estado e o que se abre para você. A ideia de liberdade de escolha e controle, é a ilusão do controle e a ilusão da escolha”, comentou a produtora.

Pearl Jam deve excursionar com turnê mundial em 2019

Bandersnatch segue um jovem programador em 1984, enquanto ele adapta um romance fantástico (e trágico) para os videogames e começa a questionar a própria realidade. O filme está disponível para streaming na Netflix.

Fonte: TMDQA | Foto: Divulgação